domingo, 30 de setembro de 2007

Império dos Sonhos na Sala dos Pesadelos

Assistir Inland Empire (Império dos Sonhos) no Festival do Rio foi uma experiência surreal. Não pelo filme, mas pelas condições do cinema. Abaixo o relato do pesadelo de ver a obra de um diretor que eu adoro ser destruída.

Sou fã de carteirinha de David Lynch. Assim que soube que seu novo projeto, "Inland Empire", passaria no Festival do Rio ( e breve em São Paulo tb), abri um sorriso de orelha a orelha.

Já tinha assistido ao filme via download, pois não tinha esperanças de que passasse nos cinemas daqui. Mas assim que soube que viria pro Festival do Rio, corri e garanti meu ingresso com umas duas semanas de antecedência. Não perderia nunca a chance de ver um filme de Lynch no cinema finalmente, na tela grande, no escuro, no clima certo, ver a reação das pessoas às cenas mirabolantes que ele cria, perfeito.

Achei que só estaria eu no cinema, mas a sessão lotou.Foi uma sensação estranha ver uma fila enorme dando a volta no Barra Point 2 pra ver o filme. Lynch pode não ser blockbuster, mas pelo visto tem seus fãs alternativos por ai hehe.

A partir daí as boas sensações acabaram.

Marcado para as 6:30, o filme só foi começar lá pras 7 e pouca. O pessoal que tava no pique da maratona do Festival e tinha outros para assistir, teve seu roteiro estragado. Alguns desistiram de esperar. Segundo a gerente do cinema, o atraso se deu a um problema com o sistema digital, que transfere o filme de São Paulo para o Rio via internet (!). Isso rendeu algumas piadas do tipo "Se eu quisesse ver filme via internet eu mesmo tinha baixado" "Caramba, só falta vir o filme com a marca d'água DivX no canto" , entre outras.

Depois do atraso todo, finalmente conseguiram transferir o filme, e o mameluco chegou com o bendito no Hd pra instalar no projetor lá (acreditem se quiser). Isso também rendeu uma piada legal "Filme de Lynch é tão surreal que a experiência já começa antes do filme".

Mto bem, finalmente o filme começa, pensei que agora os problemas tinham acabado, mas que nada.

Inland Empire é um filme escuro, com um clima sombrio sim. Mas graças ao projetor medonho da sala, o clima sombrio virou um breu absoluto. Raramente se conseguia ver alguma coisa na tela. Dava pra ver fragmentos do rosto de alguns atores de vez em quando. Uma cena em que Sue beija Billy, que usa roupas escuras, parece que ela está abraçando e beijando um bloco preto, pq não se enxerga o cara naquele breu. A cena em que o coelho de terno (Jack Rabbit) se transforma no ouvinte mudo de óculos tb não apareceu devido a escuridão e ninguém da sala pôde ver. A parte em que 3 velhinhos ficam na mesma posição que os coelhos e a cena faz uma transição para a casa dos coelhos tb foi arruinada.

Ah, mas algumas cenas claras ou em ambiente externo durante o dia eram perfeitamente visíveis. Infelizmente devem ter umas 3 assim no filme inteiro. Com uns 5 segundos de duração no máximo.

O pior é que talvez as pessoas tivessem achando que a estética do filme fosse daquele jeito e por isso ninguém reclamou. Mas como eu já tinha assistido antes, eu sabia que não era assim. Graças a ter visto anteriormente, eu não precisei imaginar 80% das cenas do filme, como os outros espectadores. Tem outra cena em que aparece alguém no estúdio em que Nikki e Devon estão ensaiando, e Devon vai averiguar. Nesta cena foi simplismente impossível ver que o personagem misterioso do estúdio corre e se esconde dentro da casa cenográfica. Em várias outras cenas acontece o breu absoluto e vc é forçado a imaginar o que se passa, sendo que a idéia do filme não é essa. Outras cenas, vc via tão pouco que praticamente todo o cenário sumia na escuridão.

Finalmente temos o problema das legendas. Várias partes do filme são faladas em Polonês. E para minha surpresa não colocaram legendas em NENHUMA dessas partes. Não sei se no original tb é assim (já que não tem nem legendas em inglês embutidas no filme como normalmente acontece nestas situações), mas como na versão que eu assisti havia as tais legendas para essas partes, achei extremamente estranho e senti muita falta delas. Alguns diálogos eu até lembrava mais ou menos, outros não fazia idéia do que eram mais.
O pior de tudo é que essas partes em polonês não são atoas, elas são importantes para compreender (pelo menos um pouco hehe) o enredo do filme. Há várias e longas cenas em polonês no filme, e as pessoas já estavam achando ridículo ficar boiando que nem otárias toda vez que elas aconteciam. Acho que no começo, as pessoas acharam que era normal, já que era uma ou outra fala, que a idéia era deixar sem entender mesmo, mas depois foram vendo que as falas eram cada vez mais freqüentes e maiores e viram que havia algo errado.

O resultado é que metade da sala desistiu de ver e foi embora. A outra metade começou a rir, para não chorar, toda vez que entravam as partes em polonês. Nos 10 últimos minutos do filme as risadas eram cada vez mais freqüentes, mesmo sendo em partes que deveriam ser dramáticas angustiantes.

O pior disso tudo é que depois as pessoas pensam que o filme é uma porcaria, quando na verdade foi o cinema que destruiu o filme. Uma vez eu li nm site um cara que dizia que os filmes de Lynch eram uma enganação, que as pessoas diziam q ele era genial por medo de serem taxadas de burras pelos outros. Que ele fazia um monte de asneira sem nexo nenhum e as pessoas diziam que gostavam pra parecerem cool. Que ele fazia era td mundo de bobo. Juro que se eu não tivesse assistido Inland Empire antes, eu diria exatamente a mesma coisa agora. Acho que foi essa a sensação que todos tiveram ao deixar a sala: "Lynch me fez de idiota, esse filme não passa de 3 horas de cenas escuras em q não se vê nada, não se entende nada e ainda se fala em polonês sem legenda metade do filme. Não acredito que paguei pra ver isso."

Fiquei mto decepcionado de assistir "Império dos sonhos" (blergh pra tradução) no Festival do Rio (especificamente no Barra Point 2, não sei se as outras sessões em Botafogo e Ipanema foram assim). 90% do filme não deu pra enxergar. 45% não deu pra saber o que falaram.

Vou assistir ao filme em DivX em casa mais uma vez e farei um Review aqui no Sol Ardente para as pessoas que tb foram ver no Barra Point possam saber o que aconteceu no filme.

2 comentários:

Blower's Daughter disse...

Oi,Thi!
Hahaha,eu adorei o título do texto!
Nossa,eu não vi o filme,mas imagino como deve dar mta raiva assistí-lo nessas condições.Ainda mais vc que já o assistiu antes e sabe que ele é bom.Espero que mais pessoas saibam que o filme não é escuro daquele jeito e que espalhem por aí que o cinema que estragou tudo.
E aqueles que não sabem disso e acharam que o filme é daquele jeito mesmo,não devem julgar o diretor,pelo menos não sem antes assistir seus outros filmes.
Bjokas!

buliversando disse...

Ei, eu quero o filme baixado tbm, tem como fazer uma copia pra mim? hum hum?

olhe, em relaçãoa legendas ontem no odeon um dos curtas do A cada um seu cinema veio sem elgenda nenhuma o publico que entendensse o ingles interiorano do personagem, mas foi só esse o rest a legenda ou se adiantava oua trazava mas vinha.


quanto ao flme eu quero o mais rapido possivel, tem como ser?
rs

beijos.