sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Asteróides Pleonásticos

O Tietê não tem sardinha!
O Tietê não paga os seus impostos
O Tietê é uma farça! Não acreditem neles! - Ele bradava, usando somente um roupão de banho azul bebê, no meio da praça de Teresina - Piauí - totalmente alheio ao fato de que o rio Tietê a que se referia, ficava a milhares de quilômetros dali.

Mais alguns passos e ele finalmente chegou a agência de Turismo "Vai pela Sombra Viagens Porretas.ltda"

Dirigiu-se ao atendente e foi direto ao assunto:

-Meu amigo, você por acaso teria uma passagem para a Mesopotâmia pra mim?

O vendedor olhou-o com espanto.Em seguida disse:

-Cara - fez uma pausa, e tomou respiração: O pior é que eu tenho mesmo!

- Você veja bem, é que o meu amigo tem uma certa mania de perseguição por cachorro-quente. Olha a paranóia que ele criou. Ele acha, aliás, ele está convencido, e por Deus! Não há nada que tire isso da cabeça dele. Ele acredita que os cachorros-quentes do mundo estão conspirando secretamente para fazer sua vida dar errado. Tudo está dando errado na vida dele, e ele acha que os cachorros-quentes que o persegue e são os culpados de tudo. E agora a situação está difícil, porque se a namorada dele terminar tudo, ele prometeu se jogar da ponte. E se eu não for lá salvar ele, estará tudo perdido. Não poderemos mais tocar o projeto de despoluição de Cubatão usando algodão doce radioativo.

O vendedor olhava sem entender nada.

- Espera ai você disse que tem?

-Eu tenho sim. Em seguida revirou uns papéis debaixo do balcão e tirou um envelope amarelo.
Ele havia sido instruído por seu chefe, há 3 semanas atrás, que a agência estava participando de uma promoção conjunta com outra empresa, em que várias pistas eram distribuídas em diferentes meios. Quem seguisse as pistas até o final, descobriria a senha secreta e venceria a promoção.
Uma das pistas , dizia que o participante deveria procurar a agência e perguntar por uma passagem para a Mesopotâmia. E os vendedores foram instruídos a entregar o envelope amarelo para quem perguntasse primeiro. No envelope novas pistas seriam dadas.

Totalmente alheio a promoção, ele tentou embarcar para Mesopotâmia usando o tal envelope. Como ninguém aceitou, ele acabou trocando seu envelope por um jogo de baralho faltando 10 cartas, mas com 5 coringas a mais.

(A promoção acabou sendo cancelada algum tempo depois, já que ninguém havia seguido a pista do envelope amarelo).

Decidido a confiar seu destino nas cartas, resolveu concentrar-se em seu objetivo, embaralhou as cartas e puxou uma:

O sete de paus. Como esta carta poderia ajudá-lo a encontrar seu amigo perdido?
Como ele não era iniciado nas artes de adivinhação do tarô cigano nem em nenhuma outra categoria mística, resolveu interpretar as cartas do seu jeito.

Passou uma hora e meia numa sauna gay com sete homens, mas isso não o ajudou em absolutamente nada.

Irritado, ele decidiu que não poderia ficar perdendo mais tempo, tinha que ajudar seu amigo a se livrar da maldição dos cachorros-quentes.
A situação se agravou quando ele recebeu uma mensagem no celular informando que ele só tinha 15 minutos para livrar seu amigo, que teria a mente possuída por extra-terrestres após esse tempo.

Zoroaldo não poderia ficar parado, não desse jeito. Não combinava com ele. Um sujeito de personalidade forte. Um cabra corajoso e apaixonado pela vida e por seus amigos.
Homem sabido por esforço próprio, apesar das condições precárias em que cresceu (aos 15 anos quase foi trocado por 2 cabras leiteiras para alimentar seus outros 6 irmãos). Seu ídolo maior era um candango imaginário, cujo pênis dava palestras sobre engenharia genética ao redor do mundo, pois alegava conhecer o assunto muito mais a fundo que muito estudioso acadêmico.

Arrumou as malas, (na verdade, apenas tacou algumas tralhas numa sacola de supermercado) e resolveu que pediria carona até chegar a mesopotâmia.

Arrancou a placa que dizia "Ninjas Islandeses na estrada, não pare", e começou a pedir carona. Mas os carros continuavam a passar direto, ignorando-o completamente.

Continua daqui a 3 anos.

2 comentários:

Blower's Daughter disse...

Thiii!
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
Adorei o texto,morri de rir aqui!
Nossa,eu me pergunto:"de onde vem tanta criatividade?",hahahaha
Tá mto legal!
E agora eu fiquei com vontade de comer cachorro-quente,hahahahaha
Olha,se eu comer cachorro-quente,estarei ajudando o personagem,um cachorro-quente a menos pra conspirar contra ele,hahahaha
Quero ver a continuação logo,hahaha
Bjokas!!!

vitorglanna disse...

Olha, foi postado no natal...
Já passou quase 1 ano hein, 3 anos dpois se o blog ainda existir vo cobrar xD
Esse terceiro episódio (primeiro q eu li diga-se de passagem) é o mais diferente pois não começa com uma repetição... Acho que elas servem para introdução de personagens.
Bem, achei bem massa. Flw!