terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Semana da Poesia Nonsense - Dia 3

O Pomar Branco

Sozinho, numa região isolada
Cercado pelo gelo, com a neve sempre a cair
Está o pomar branco.

Os frutos do pomar branco não se desenvolvem
O pomar branco também não tem folhas
Os galhos são despidos de qualquer beleza
É sempre inverno no pomar branco

O pomar branco gostaria de produzir frutos gostosos, mas não consegue
O pomar branco gostaria de ter folhas vistosas, mas não consegue
O pomar branco tem todas essas possibilidades dentro dele
Mas não consegue externar.

O pomar branco é sempre sozinho,
O pomar branco é sempre isolado
Porque é frio, feio e distante
E não consegue mostrar pra ninguém suas qualidades não desenvolvidas

Ninguém cuida do pomar branco
Ninguém conhece o pomar branco
O pomar branco não dá frutos
Por isso, um dia todo ele acabou

2 comentários:

Blower's Daughter disse...

Thi,que poesia triste...tristemente bela!Belamente triste!(isso existe?hehe)
Não sei pq vc chama suas poesias de nonsense...
Tô gostando de ler,de verdade.Não conhecia seu lado poeta,hahaha
Eu gostei do pomar branco...a solidão,de uma certa forma,me encanta,não sei bem o pq...
Bjokas!

vitorglanna disse...

Sei o que quer dizer. Boa sorte.